Manifestações: números em Portugal vs. Brasil

Um milhão de brasileiros manifestaram-se ontem nas ruas de 100 cidades brasileiras. Foram 300 mil no Rio de Janeiro. E agora, lembram-se deste título em Portugal: “Um milhão exige demissão do governo”? É um título de setembro de 2012 daqui.

O Brasil está a ter as maiores manifestações de sempre e tem um milhão de pessoas nas ruas. Mas a esquerda tuga também achou tinha um milhão em setembro de 2012. Se o Rio de Janeiro teve 300 mil pessoas, a esquerda tuga achou que tinha 500 mil só em Lisboa! Looool. Cambada de atrasados.

Anúncios

A manipulação dos fumadores pela indústria e governos

Vale a pena ver pelo menos o sumário executivo deste relatório, já de 2000, produzido pela Philip Morris para o governo da República Checa de forma a provar o efeito positivo do tabagismo nas finanças públicas, assumindo claramente a morte precoce dos fumadores. O assunto foi amplamente noticiado na altura, como se pode ver no The New York Times, The Telegraph, CNNThe Guardian, USA Today ou BBC News.

Philip Morris Manufacturing Facility

Os cidadãos são assim manipulados pela indústria e pelos governos. Os seus comportamentos, na prática, não resultam de escolhas individuais e livres. Além disso é preciso não esquecer que fumar não é um hábito, é uma doença, como tal classificada pela Classificação Internacional de Doenças.

Philip Morris 2001 Public Finance Balance of Smoking in the Czech Republic

Associação Portuguesa dos Veteranos de Guerra

Está a decorrer há algum tempo a venda de bilhetes para um sorteio organizado pela Associação Portuguesa dos Veteranos de Guerra (APVG). Foi com satisfação que verifiquei há algumas semanas que este sorteio estava a ser organizado, tendo em conta os fins a que se destina e, acima de tudo, o rigor e legalidade com que se desenvolve tendo em conta que é devidamente explicitado que se trata de um sorteio autorizado pelo Ministro da Administração Interna com sorteio registado no Governo Civil de Braga.

No entanto, hoje de manhã no Porto, por volta das 08:35, na Estrada da Circunvalação junto ao cruzamento com a Rua da Arroteia, fui abordado nos semáforos por uma pessoa que vestia um colete com a inscrição “Associação Portuguesa dos Veteranos de Guerra”. Ao ser abordado verifiquei que tinha na mão bilhetes que imediatamente me pareceram ser os do referido sorteio mas, para minha surpresa, não me foi mostrado nenhum bilhete para compra. Foi referido pela mulher de cerca de 40 anos que me abordou que estava a decorrer um “peditório para a compra de uma ambulância”. Perguntei o que é que tinha para vender, esperando que me mostrasse os bilhetes. Sem falar nos referidos bilhetes disse que podia dar o que quisesse. Quando perguntei se o que tinha na mão eram bilhetes respondeu o seguinte: “Sim, se quiser também pode comprar bilhetes”. Ou seja, a pessoa em questão estava à espera que desse dinheiro para o peditório sem a compra do bilhete. A alternativa seria a compra dos mesmos.

Um peditório sem contrapartidas em bens (os bilhetes neste caso) não me inspira confiança especialmente quando nem sequer há uma caixa selada e numerada para a recolha de dinheiro. Se o referido peditório foi autorizado apenas com contrapartidas em bens (conforme referido pelo Decreto-Lei n.º 87/99 de 19 de Março), ou seja, apenas com a venda de bilhetes, será ilegal e certamente contra as orientações da APVG a recolha de dinheiro que está a ser feita por estas pessoas sem que seja vendido um bilhete. Já enviei um mail para a APVG a solicitar informações sobre os moldes em que é suposto decorrer este peditório, ou seja, se decorre apenas com a venda de bilhetes ou se decorre também com a recolha de dinheiro sem venda de bilhetes.

EDIT:
Quero apenas acrescentar que fui contactado telefonicamente pelo Senhor Presidente da Associação Portuguesa dos Veteranos de Guerra que agradeceu muito a exposição do caso e lamentou profundamente e com grande desalento este tipo de situações. Não terá sido a primeira vez que uma situação destas lhe foi exposta. Imagino que a associação pouco poderá fazer a não ser contar com a honestidade de quem faz a venda dos bilhetes.

Grande Reportagem SIC: Sozinhos em casa

Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística em Portugal há mais de milhão e meio de solteiros, viúvos, divorciados e separados. Adultos sem qualquer compromisso conjugal ou relacionamento amoroso. Destes, cerca de 650 mil vivem sozinhos. Meio milhão tem mais de 40 anos.

A reportagem da SIC, disponível aqui, não acrescenta muito mas mostra-nos uma realidade cada vez mais frequente. De facto verifica-se que o número de famílias unipessoais está a aumentar. À data dos Censos de 1991 havia 435 mil famílias unipessoais. Em 2001 eram já mais de 631 mil. Aumentaram em todos os grupos etários. Estaremos a tornar-nos cada vez mais individualistas?

INE Famílias Unipessoais

Fonte: INE

Professora que posou para a Playboy foi afastada

Não posso deixar de comentar aqui a notícia da professora de Actividades Extra Curriculares do 1.º Ciclo do Ensino Básico que posou nua para a Playboy e que foi afastada das actividades lectivas, sendo transferida para um serviço onde não tem contacto com os alunos. Só posso dizer que é lamentável este pseudo-moralismo que ainda impera na gente mais tacanha que pode existir.

Não deixem de ver as declarações da Vereadora da Educação da Câmara Municipal de Mirandela que aponta como razões para a suspensão o seguinte: “Eu como professora senti-me mal”. Lindo. Sentiu-se mal? Porquê? Por inveja? Diz mais: “Nós temos de ser os primeiros a dar o exemplo”. Exemplo? Porquê? A professora cometeu alguma ilegalidade? É crime mostrar o corpo para uma revista? Já sei, não é crime mas é pecado. Deve ser esse o motivo.

Diz André Couto no Delito de Opinião: “Já o novo milénio vai longo e em Portugal ainda se pensa como se estivéssemos no início do anterior”. Concordo. Leiam o artigo que diz muito do que há para dizer.

Cláudio Carvalho no Terceiro Estado: “Bruna Real (…) vive num país medíocre, onde o conservadorismo pseudo-moralista ainda é reinante”.

Ricardo Santos Pinto no Aventar: “Como é um caso de vida privada, que envolve nudez, a Vereadora julga-se no direito de decidir pela sua própria noção de moral e bons costumes”.

Solange Cosme no Expresso: “Será que a capacidade dela tirar a roupa retira-lhe a capacidade de ensinar? Ou será que uma mulher que tira a roupa é impura para trabalhar com crianças pois vai tentar atrocidades com as mesmas? (…) A mim parece-me que despedi-la com base nesta premissa é ilegal”. A mim também.

Luís Fernandes no Questões Nacionais: “Estamos perante um pacovismo, um atraso de mentalidade quase geral, uma indecência de alguém – refiro-me às pessoas que exercem cargos políticos e que fizeram tais declarações – que pelo múnus público que ocupam tinham obrigação de ver para além da bruma e não cederem, em servilismo eleitoral, a um povo subdesenvolvido e estúpido”.

Artigos:
JN – Escola não quer professora que posou para a “Playboy”
JN – Professora que posou para a “Playboy” foi afastada dos alunos
DN – Escola quer despedir professora que posou para a Playboy
DN – Professora da ‘Playboy’ afastada dos alunos
DN – Internautas solidários com Bruna
DN – “Voltaria a apoiar a minha filha a posar na Playboy”
Expresso – Professora na Playboy rouba protagonismo à alheira de Mirandela
Sol – Professora que posou para a Playboy suspensa pela Câmara de Mirandela
Público – Câmara de Mirandela vai tomar decisão sobre professora que posou para Playboy
Público – Câmara suspendeu das actividades lectivas professora que posou nua para a Playboy

Dados estatísticos sobre a família em Portugal

Os portugueses casam-se cada vez menos. Em 2008 foram apenas celebrados 43.228 casamentos. Em 2000 foram 63.752, tendo havido portanto uma redução de 32%.

INE Estatística Casamentos Família

Quando se casam, a maioria a maioria já não escolhe a cerimónia religiosa. Apenas 44,7% escolheram um casamento católico em 2008, contra 64,8% em 2000. Um grupo crescente de casais já coabitava antes de se casar. Eram 35,3% em 2008 contra 18% em 2002. Mais de terço dos bebés nasceu fora do casamento em 2008, contra menos de um quarto em 2000.

Fonte: Público, INE

Continuar a ler

Cândida Almeida: "Onde há poder, há corrupção"

“A penalização do enriquecimento ilícito é fundamental para a existência de um Estado transparente «perante a exibição pública de poder e de dinheiro de um pequeno grupo cada vez mais rico que afronta a sociedade», disse hoje Cândida Almeida, directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal.”

“A magistrada participou na conferência «A Economia da Corrupção nas Sociedades Desenvolvidas», que decorre no Porto, afirmando ser uma defensora do chamado pacote Carvinho, um conjunto de leis penais apresentadas pelo antigo deputado socialista João Cravinho, que o PS chumbou.”

Veja a notícia: Diário de Notícias

Earth Water em Portugal

A água embalada Earth Water é o único produto no mundo com o selo do Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), revertendo os seus lucros a favor do programa de ajuda de água daquela instituição. Ao nível nacional, a Earth Water é um projecto que conta com a colaboração da Tetra Pak, do Continente, da Central Cervejas e Bebidas, da MSTF Partners, do Grupo GCI e da Fundação Luís Figo.

Com o preço de venda ao público (PVP) de 59 cêntimos, a embalagem de Earth Water diz no rótulo que «oferece 100% dos seus lucros mundiais ao programa de ajuda de água da ACNUR», apresentando, mais abaixo, o slogan «A água que vale água». Actualmente morrem 6 mil pessoas no mundo por dia por falta de água potável. Com 4 cêntimos, o ACNUR consegue fornecer água a um refugiado por um dia.

Site: Earth Water